top of page
  • Foto do escritorAndreia

Dependência financeira e violência contra a mulher



A violência contra a mulher é um problema grave e presente em todo o mundo. Muitas vezes, as mulheres são vítimas de abuso físico, emocional e sexual por parte de parceiros íntimos ou de familiares próximos. Além disso, a dependência financeira pode ser um fator que dificulta ainda mais a saída dessas mulheres dessas situações de violência.

Um exemplo de personagem que retrata essa realidade é Gabriela, do romance de Jorge Amado "Gabriela, Cravo e Canela". Gabriela é uma mulher linda e sensual, com cabelos negros e olhos verdes. Ela é atração da cidade e conquista o coração de muitos homens, incluindo o poderoso coronel Amâncio. Entretanto, Gabriela é uma personagem que sofre violência em diferentes formas ao longo da história, e uma das principais causas disso é sua dependência financeira do personagem Nacib.

No livro, Gabriela é uma imigrante que chega a Ilhéus, na Bahia, em busca de trabalho. Ela é contratada por Nacib, proprietário do bar Vesúvio, para trabalhar como cozinheira. Com o tempo, Nacib se apaixona por Gabriela e os dois iniciam um relacionamento. No entanto, a dependência financeira de Gabriela em relação a Nacib a impede de tomar decisões por si própria e de se livrar do abuso que sofre.

Gabriela é retratada como uma mulher submissa e dependente de Nacib, que a trata com desrespeito e violência verbal em diversos momentos da história. Ele chega a ameaçá-la de morte quando descobre que ela o traiu com outro homem, e ela acaba voltando para ele por não ter para onde ir.

Ainda assim, em seu íntimo Gabriela é uma mulher livre e independente, que luta pela sua liberdade e sua dignidade em um mundo dominado pelos homens.

Essa história de Gabriela é um exemplo de como a dependência financeira pode deixar as mulheres vulneráveis ​​a situações de violência doméstica. Muitas vezes, as mulheres são impedidas de trabalhar ou estudar pelos seus companheiros, o que as deixa sem independência financeira e as torna mais suscetíveis a abusos.

Para combater a violência contra a mulher, é importante que haja políticas públicas que incentivem a independência financeira das mulheres, como programas de capacitação e empoderamento econômico. Além disso, é fundamental que haja uma conscientização sobre a importância da igualdade de gênero e do respeito aos direitos humanos, a fim de mudar as atitudes e comportamentos em relação às mulheres.

Entretanto, enquanto essas políticas públicas, programas de capacitação e conscientização não acontecem, nós da Empresa Mar, acreditamos que devemos e podemos agir. Pois o problema infelizmente é real e não está apenas no romance de Jorge Amado.

Se você ou sua empresa deseja entender melhor como enfrentar a dependência financeira e a violência contra mulher, a Empresa Mar oferece pelo menos três serviços: terapia, mentoria e palestras que aprofundam e buscam respostas para esses assuntos.

Na vida nem sempre temos soluções para tudo ou devemos resolver os problemas sozinhos, muitas vezes é necessário buscar e pedir ajuda. A Empresa Mar está aqui para ajudar a você ou sua empresa a alcançar melhores condições de vida tanto pessoal como profissional.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page